Grauº Cerâmica

A marca saiu do forno em plena pandemia mas as suas máscaras e acessórios não são nada descartáveis.

Texto: Maria Ramos Silva

A marca saiu do forno em março de 2020, quando o mundo se viu obrigado a parar e a ficar em casa por causa da pandemia Covid-19. “Fomos confrontados com a oportunidade de podermos ter tempo para fazer algo que realmente nos traz prazer”, recordam Isac Coimbra e Diogo Ferreira, a dupla por trás da GRAUº. “Pareceu-nos o momento ideal para concretizar a nossa visão e, no meio da incerteza toda, afastámo-nos dos nossos empregos e decidimos dedicar toda a nossa energia a uma marca própria de cerâmica.”

Isac era arquiteto numa empresa de construção civil, Diogo dedicava-se à direção criativa na área do design gráfico. Até que uma ocupação a tempo parcial, que começou por funcionar como escape, tornou-se um aliciante plano de futuro. “O contacto com o barro surgiu, inicialmente, de uma necessidade básica de expressão criativa, sendo algo que fazíamos como hobbie”, explicam.

O confinamento revelou-se um precioso combustível: “Foi uma oportunidade de nos reinventarmos. A liberdade restritiva que todos experimentámos transformou-se na maior liberdade que podemos ter dentro de casa: a criativa. Pôr a mão na massa foi literalmente o melhor remédio”.

No estúdio improvisado nasceram as primeiras peças de espírito tribal, incluindo as máscaras, nada descartáveis, de pendurar na parede. “A simplicidade e pureza dos materiais e das formas é algo que nos atrai”, dizem. Uma estética minimalista e geométrica que se vê também nos mobiles e outros artigos para o lar, como os vasos, os jarros, as fruteiras e restantes acessórios de mesa. Comum a cada peça é a mistura de pastas refratárias de diferentes tons, entre preto, terracota e branco, com e sem vidrados, e com complementos em juta e corda. Escusado será dizer que cada elemento é confecionado à mão, desde a amassadura inicial, até à cozedura final. E por falar em graus, as peças são cozidas a temperaturas que rondam os 1300ºC, tornando-se impermeáveis e extremamente resistentes.

Mais Vistos

Comer

Exclusivo The Collection

Jantar “O Prato da Minha Vida” com Marlene Vieira

Marlene Vieira cozinha os pratos da sua vida num jantar exclusivo, dia 2 de junho, no Zunzum Gastrobar.

Comprar a partir de 75€

Sair

Algarve

Conversas de Alpendre

Para além das 9 suítes, é possível dormir numa cabana de luxo e até numa casa na árvore.

Agendar estadia

Ler

Revista

Na casa de Manuel Aires Mateus

Um dos principais arquitetos portugueses mostra a casa onde vive.

Ler artigo

Sair

Norte

Casa no Castanheiro

Debaixo de um castanheiro centenário nasceu um refúgio desenhado pelo arquiteto João Mendes Ribeiro.

Agendar estadia

Sair

Alentejo

Casas Caiadas

A partir das ruínas de um moinho, as Casas Caiadas receberam o prémio Most Tasteful Renovation da revista Monocle.

Agendar estadia

Ler

Revista

A história do Barca Velha

Nasceu no Douro em 1952 e atingiu um estatuto mítico entre os vinhos portugueses.

Ler artigo

Comer

The Therapist

Granola salgada

Perfeitas para sopas e saladas, estas granolas de origem biológica ajudam numa alimentação saudável.

Comprar por 6,90€

Ficar

DAM

Banco Pipo

O banco em forma de pipa venceu o prémio POPS (Projetos Originais Portugueses) de Serralves.

Comprar a partir de 271€

Sair

Algarve

Casa Modesta

Uma casa modesta, sim, mas também cheia de detalhes e de história, com vista para a ria Formosa.

Agendar estadia

Sair

Alentejo

Herdade da Malhadinha Nova

No campo com luxo. A Malhadinha faz parte da rede Relais & Châteaux, das mais prestigiadas do mundo.

Agendar estadia

Sair

Norte

Casa Soenga

No meio de uma floresta de carvalhos e cedros, a Casa Soenga é um refúgio exclusivo na natureza.

Ler artigo

Brincar

Wolf & Rita

Boné Inácio

Com um padrão original, o boné Inácio é perfeito para os dias de sol.

Comprar por 45€

Cesto de Compras