Zouri

Nestes sapatos as solas são propositadamente transparentes e mostram o plástico apanhado nas praias.

Texto: Ana Dias Ferreira

As solas são tão interessantes como os ténis, e esse é o maior elogio que se pode fazer à Zouri. A marca de Adriana Mano e António Barros integra plástico apanhado nas praias no seu calçado, e é isso que se vê por baixo, graças à transparência da borracha: pedacinhos coloridos que já foram boias, redes e outros resíduos ligados à pesca.
Os dois sócios conheceram-se numa empresa de calçado em Braga e juntaram-se para canalizar a paixão comum pela natureza através dos sapatos. Inicialmente, a ideia era construir uma sandália semelhante às japonesas (de onde vem o nome Zouri) inteiramente de plástico reaproveitado. Ironia: num mundo inundado deste derivado do petróleo, o material não era o mais indicado. “É pesado, é quebrável e tem uma abrasão que faz com que se desgaste com facilidade”, explica Adriana.

A solução, encontrada com o apoio da Universidade do Minho e de uma fábrica em Felgueiras, foi então triturar o plástico e incorporá-lo nas solas de borracha natural, normalmente translúcida. Que plástico? O que é recolhido nas praias portuguesas, por ser local, e porque se trata de um plástico “muito degradado e sujo, que não é aceite nas empresas de reciclagem e normalmente vai parar aos aterros”, quando não fica simplesmente no mar.
Logo nas primeiras sandálias da Zouri, lançadas em 2018 depois de uma campanha de crowdfunding, foi utilizada parte da tonelada e meia de lixo apanhado numa grande ação de limpeza promovida pela Câmara Municipal de Esposende em toda a costa do concelho. A quantidade de plástico usada em cada par depende do tamanho do sapato, mas “a média é equivalente a seis garrafas”.
Produzidos artesanalmente na zona de Guimarães, os ténis, sandálias e chinelos da marca usam ainda outros materiais amigos do ambiente como a cortiça, a juta, o algodão orgânico e, mais surpreendente, o piñatex, uma imitação de pele feita a partir de folhas de ananás (e o único material que tem de vir de fora, neste caso de Barcelona).
Em nome da transparência (não só da sola), cada par vendido traz uma ficha com os materiais usados, os nomes dos envolvidos na produção e a data em que o plástico foi recolhido. “No fundo queremos criar uma tendência em que as pessoas se preocupem com o que estão a usar”, conclui Adriana. “Como na alimentação.”

Mais Vistos

Sair

Norte

Casa no Castanheiro

Debaixo de um castanheiro centenário nasceu um refúgio desenhado pelo arquiteto João Mendes Ribeiro.

Agendar estadia

Ficar

Solo Ceramic

Chávena de café Terracota

Para sentir a textura deste material tão português, o barro é vidrado apenas onde é necessário.

Comprar a partir de 8€

Vestir

Yako & Co

Avental de jardinagem

Mais um motivo para arranjar um jardim e poder usar este avental vegan.

Comprar por 55€

Sair

Alentejo

Open House

Dos mesmos donos das Casas Caiadas, a Open House fica em pleno centro histórico de Arraiolos.

Agendar estadia

Etc.

Mauvais Marie

Bananas de alfazema

Sacos de alfazema que Andy Warhol aprovaria, para perfumar o roupeiro e as gavetas.

Comprar a partir de 14€

Ficar

Ramos Cerâmica

Vasinho de brinco

Numa produção exclusiva e limitada Ramos Cerâmica x The Collection, nasce este vaso com brincos e textura de pedra.

Comprar por 35€

Sair

Norte

Monverde Wine Experience

O primeiro hotel vínico na região dos Vinhos Verdes impõe-se pelas janelas rasgadas e a decoração minimalista.

Agendar estadia

Ficar

Paulo Tuna, The Bladesmith

Faca tradicional

Faca tradicional, feita à mão por Paulo Tuna, numa produção exclusiva para o The Collection.

Comprar a partir de 180€

Sair

Alentejo

Casas Caiadas

A partir das ruínas de um moinho, as Casas Caiadas receberam o prémio Most Tasteful Renovation da revista Monocle.

Agendar estadia

Ler

Revista

Na casa de Manuel Aires Mateus

Um dos principais arquitetos portugueses mostra a casa onde vive.

Ler artigo

Sair

Alentejo

Paraíso Escondido

Graças aos bungalows, é possível dormir no meio das árvores. E descobrir África na costa alentejana.

Agendar estadia

Sair

Alentejo

Villa Extramuros

À casa de arquitetura contemporânea, com um grande pátio central, juntam-se duas cabanas de cortiça.

Agendar estadia

Cesto de Compras